TRILHA SONORA

sexta-feira, 21 de abril de 2017

SOBRE A PASSAGEM DAS COISAS


Eu nunca fui a melhor aluna da sala, embora, tenha me esforçado muito para isso! Porque ser inteligente nem sempre te dá o mérito do título. 

Eu nunca fui a filha mais querida, embora, de alguma maneira me esforçava para sê-la. Mas, Shakespeare diz que beijos não são contratos, nem presentes são promessas.

Talvez eu nunca tenha sido o grande amor da vida de alguém, embora tenha sido fiel aos meus sentimentos e princípios. 

Eu nunca fui simpatizada pela maioria, minha seriedade diante das piadas sem graça, meu jeito sincero de dizer “não gosto disso” ou “isso não cai bem em você”, me distanciou do mundo de aparências que as pessoas se acostumaram a ter como base.

Meu estereótipo nunca me fez uma alguém popular. 

Gosto de falar sobre comida, sobre política, sobre crise mundial, sobre a origem da vida, sobre sentires... E as pessoas andam tão desmotivadas com tudo isso que nada me torna alguém interessante.

Passei a maior parte da vida tentando agradar as pessoas e me moldar às fases de acordo com o que cada amigo, cada parente ou cada relacionamento exigia e me tornei, algumas vezes, aquilo que eu mesma detestava.

Desisti de muitos sonhos, adiei outros. Cancelei viagens, engoli choros, sorri por falta de opção, desfiz amizades de longas datas (mas, amizade se desfaz?). Vi os dias passarem sem sair do lugar. Cometi erros – tantos. Mas, também acertei muita coisa.

Hoje, uma frase se torna lema para o resto dos meus dias “tudo isso também passa”. Assim, eu lembro que todas as amarguras se vão, assim como a alegria não dura para sempre, os momentos de dor também não são eternos.

As pessoas passam...

Isso é o mais difícil de absorver. Mas, quando se consegue entender que o mistério da vida não consiste em perdoar o outro, mas você mesmo em detrimento da parcela que levou o outro a cometer o erro – se consegue Paz. A Paz está no amor e no perdão.

A Paz está na esperança de que tudo é passageiro e estamos aqui, também de passagem.

Gastamos muito tempo “atolando” o coração no rancor, no medo (de perdoar, inclusive. Isso para alguns é uma humilhação). Vomitamos tanta passagem bíblica, clamamos pela misericórdia divina... E nos esquecemos de que Jesus se fez carne para ser xingado, cuspido, julgado, traído, crucificado... E, no entanto deixou-nos a maior lição: ”Amai-vos!” – muitos falam de amor e quase ninguém o vivencia, por que será? 

O motivo pelo qual as pessoas ainda vivem depressivas, angustiadas e vazias está em compreender que só o Amor cura, liberta e traz a Paz. O Amor não está nos tantos “Eu te amo” distribuídos por aí – Amor é tão divino e tão complexo que não se explica; ele simplesmente não passa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DÊ SEU PITACO: