TRILHA SONORA

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

SOBRE A REDE



Era o nosso casamento
E os filhos que chegariam
As lutas que travariam
Pelo nosso juramento
Era o nosso pensamento
Que foi no tempo esquecido
Meu coração iludido
Sofreu mais uma mancada
Para que a rede armada
Com tanto sonho perdido?

As juras de Amor eterno
E a loucura da paixão
As mãos dadas no verão
O abraço quente do inverno
São páginas de um caderno
Que você não tem mais lido
O nosso amor foi banido
E a história violada
Para que a rede armada
Com tanto sonho perdido?

Você rasgou os retratos
E devolveu os presentes
Já mentiu para os parentes
Sobre o ciúme dos atos
Só que não diz que os boatos
É o que tem agredido
E o Amor foi vencido
Em meio a uma cilada
Para que a rede armada
Com tanto sonho perdido?

Não adianta fingir
E dizer que me esqueceu
Que o nosso amor morreu
Ou não vai se repetir
Você não sabe mentir
E já tá arrependido
Mas seu orgulho ferido
Deixa a saudade abalada
Para que a rede armada
Com tanto sonho perdido?

Podia ter qualquer cor
Branca, preta, escarlate
Mas era cor de abacate
A rede do nosso amor
Hoje é símbolo de dor
E de um sonho dividido
É sentimento invertido
E a saudade faz morada
para que a rede armada
Com tanto sonho perdido?

Vou arrumar a mudança
E colocar numa mala
Tirar ela lá da sala
Só pra ficar na lembrança
Guardar no peito a esperança
De tudo que foi vivido
E quando for repetido
Voltará a ser usada
Para que a rede armada
Com tanto sonho perdido?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DÊ SEU PITACO: