TRILHA SONORA

sábado, 23 de janeiro de 2016

SOBRE VALER À PENA


Um dia conheci uma mulher que foi casada com o mesmo homem por 40 anos, agora viúva e sozinha, me contava um pouco da sua história enquanto esperávamos o ônibus pra casa...
Disse que perdeu a mãe aos dezessete anos, única filha mulher numa família de sete irmãos, a caçula e também a dona da casa. Não era permitido que namorasse ou que saísse de casa sem uma presença masculina; o Pai tinha muito ciúme dela e tinha uma vida muito sofrida pois além de cuidar nos afazeres domésticos também lecionava e ajudava os irmãos na roça. Foram anos sofridos o daquela garota semi-órfã. 
Mas um dia conheceu seu Marido. Apaixonaram-se, mas era impossível que o relacionamento fosse adiante. Ele era pobre, negro e analfabeto. Mas, quando se ama, disse ela, até quem torce contra, ajuda. E fugiram... E casaram... E tiveram seis filhos. Ela foi deserdada; o que era um escândalo pra época, mas foi Feliz!
Trabalharam, cresceram juntos no Amor e na vida. Educaram os seis filhos; encaminharam todos eles e aproveitaram tudo que a vida pode lhes dar na velhice - "Ele se foi - resumiu a Senhora - e levou com ele metade do meu coração. A pior das dores é a da despedida à quem se gosta; principalmente, quando se tem a certeza de que nunca mais você vai acordar com o bom dia daquela pessoa, nem vai poder reclamar dos roncos, ou da televisão ter ficado no volume mais alto.Hoje, eu olhos recantos da casa e ainda o imagino na cadeira da sala, lendo seu jornal e fumando. Eu sinto a presença dele perto na hora de dormir e às vezes até imagino que ainda ganho meu beijo de boa noite na testa e aquele sinal da cruz pra que o anjo da guarda me proteja durante o sono - mas ele não está lá. Nós fomos companheiros de uma vida. Nosso casamento não era de carne; era um Amor de alma. Eu sofro muito por não tê-lo mais comigo. Mas sei que um dia Deus nos colocará um para o outro de novo".
Eu não podia fazer mais nada depois daquele discurso de Amor infinito se não chorar... Então ela me olhou e indagou: "Você é casada?" Eu disse que não... E ela completou: "Mas certamente gosta de alguém... Vou te dizer menina... Deixar tudo que eu deixei pra ir atrás da minha Felicidade foi a melhor coisa que eu fiz. Amei meu marido por quarenta anos. Sofri muito... Mas vencemos juntos. Houve um tempo em que perdemos tudo e ele viciou-se na bebida. Todos achavam que eu desistiria dele, mas eu fui até o fim e conseguimos que ele deixasse o alcoolismo. Depois de sofrermos o pão que o diabo amassou pra ficarmos juntos e construir uma família, então pudemos descansar um pouco. Mas a velhice chegou, a doença chegou e ele se foi. Mas em nenhum momento eu me arrependo de tê-lo amado tanto. Até no sofrimento eu fui feliz; porque ele estava comigo. Entende?! Então se um dia você gostar de alguém que "tudo conspire contra", fique com essa pessoa! Desconfie do que vem fácil. Mas, se parecer impossível amar, ame assim mesmo!Não tenha medo de parecer ridícula. O amor mais ridículo é também o mais verdadeiro."
Então veio o ônibus e ficou ali só o ponto; que, agora, já nem era mais final...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DÊ SEU PITACO: