TRILHA SONORA

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

SOBRE FINS


Quando um relacionamento acaba não precisa ser estampado nas redes sociais... 

Não é preciso ser semeado ao vento ou gritado ao som de palavrões, desacatos e xingamentos, loucuras ou insanidades - as pessoas por si sós irão notar as mudanças, os sorrisos, o pranto, a decepção ou a felicidade sem que haja a necessidade da mau criação nem tão pouco da baixeza de nível que tantos e tantos "casais" se expõem. 

Admiro quem entra e sai da vida do outro de cabeça erguida e com a satisfação de dever cumprido! 

É bonito saber que o sentimento durou até quando foi bom pros dois - mais que isso - que não ficou nenhum ponto de frustração ou de culpa no meio das lembranças que um dia hão de bater à porta... Terminar um namoro, aceitar a separação... 

Não são sinais de guerrilha - é sinônimo de que sentimentos se transformam a todo instante e que existem pessoas maduras e sensatas no meio disso tudo; então, é bom que haja educação bastante pra saber que o mundo não acabou porque o amor chegou ao fim... 

Que existe um mundo lá fora que não gira tão somente em torno da cabeça ou do umbigo de alguém... 

E que existem pessoas tão interessantes quando a outra que esteve com você ao ponto de os olhos se abrirem noutros horizontes... 

Então aquela pessoa não se tornou a pior do mundo de uma hora pra outra só porque o tesão foi perdido... Pra isso, é essencial que não se confunda Amor com Solidão e Paixão com Necessidade. 

Se você se envolveu com alguém por solidão ou necessidade, quando o encanto acabar o sentimento de culpa vai se tornar tão maior quanto o medo de recomeçar... 

Quando o Amor ou a Paixão acaba isso não acontece... A amizade fica! Porque ela, a Amizade, foi a base de tudo... 

Então, ver o outro caminhando com suas próprias pernas (embora machucadas) não será tão masoquista quanto o ato de esconder-se por trás de Fakes e vigiar sua "nova" versão de vida, a felicidade silenciada da outra pessoa não será um problema... 

Chega a ser patético e ao mesmo tempo cômico, a maneira com que as pessoas falam de Amor e no entanto controvertem a própria teoria sobre ele... 

A maneira com que planejam a caminhada depois do fim do caminho e mesmo assim ainda olham pra trás, sofrendo pela própria opção anterior... 

Eu gosto de quem não fraqueja, de quem se atreve a ir, mesmo que sangrando, atrás do que quer e... tem a honestidade de admitir que errou. 

Admiro quem sabe reconhecer os momentos bons e não os atira pedra tão somente porque passaram. Alguns dizem que sou louca por achar que gostar de alguém vai muito mais além do que uma relação despedaçada... 

Gostar de alguém é simplesmente ter o dom de saber que todas as terças-feiras cinzentas podem se transformar em lindas manhãs de domingos, sem que ninguém precise necessariamente morrer ou matar pra que isso aconteça.

Mas o problema disso tudo é que não sou humana, sou Poeta.