TRILHA SONORA

terça-feira, 26 de agosto de 2014

SOBRE A FÊNIX E A LUZ


Estou naquela etapa da vida que nada surpreende, nada frustra, nada decepciona!

Acostumei-me a depositar expectativas demais nos outros quando na verdade eu deveria ter depositado em mim mesma – teria sido menos doloroso, mas talvez agora, que a ambição por conquistar meu próprio império volta a abrandar meu peito, eu pense outra vez em ser aquilo que meu nome carrega consigo.


Eu volto a ser a mesma Helena de antes. A corajosa, a sonhadora... A menina que aprendeu a ser mulher à marra e que por tal razão faz valer cada segundo da vida! E volto também a caminhar com as próprias pernas, mesmo que ainda quebradas...

Estou me tornando aquela borboleta que sai do casulo e voa agradecida pela liberdade que o próprio destino se encarregou em dar.


Na verdade eu nunca deixei de ser fênix e é sendo Helena a Srª que é dona do próprio tempo e do próprio destino que eu sigo meu caminho – desbravando a mata escura e sombria em busca mais uma vez da Luz.

Mas que bobagem a minha - ela já está aqui. E dança com a taça de vinho na ponta do dedo saudando o Sol pelo despertar de mais uma manhã! 

E acordamos ao som de Bethânia, porque afinal de contas - quem não é côncavo não pode ser reconvexo!