TRILHA SONORA

segunda-feira, 14 de julho de 2014

SOBRE A COPA DAS HUMILHAÇÕES


Diante as noticias exibidas na mídia de que dezenas de pessoas teriam se suicidado ou cometido algum delito pelo fato de a Seleção Brasileira ter sido "humilhada" nos últimos jogos, venho estender meu ponto de vista, por aqui, também...

Humilhação não é ter perdido por 10 x 01 em dois jogos numa Copa do Mundo... Humilhação é viver num país que tem os maiores impostos mundiais e não ser atendido dignamente nos hospitais públicos. Humilhação é saber que quem está na cadeia recebe mensalmente o mesmo que um professor recém formado.

Humilhante é maquiar um índice de educação quando ainda existem escolas funcionando no meio do mato e sem nenhuma estrutura física pra abrigar os alunos.

Humilhação é quando nos deparamos com pessoas morrendo em obras inacabadas e superfaturadas... É saber que o tempo passa, as reclamações continuam, a insatisfação ocupa cada vez mais um espaço maior e mesmo assim ninguém faz absolutamente nada!

Humilhação é ver um trabalhador, pai de família, dando seu suor diariamente pra ganhar um salário mínimo enquanto existem projetos de “recompensa” a quem apenas se dedica a procriação.

Humilhante é ter 70% de uma população ainda analfabeta ou semi-analfabeta.

Humilhação é ter os maiores índices de desemprego e insegurança do mundo e ainda assim maquiar uma realidade de “fim de miséria”.

Humilhante é ver pessoas morrendo todos os dias, inclusive de fome e ainda estampar na televisão uma propaganda de "mesa farta".

Não precisamos de medalhas. Precisamos de atitudes. Vivemos numa país onde a frase timbrada na bandeira nacional diz "ordem e progresso" e nenhuma dessas duas coisas é encontrada por aqui... 

Faz muito tempo que digo isso, no entanto, é lamentável que apenas em momentos como este a população mais esclarecida comece também a se manifestar.

Enquanto houver monopólios revestidos de Democracia, enquanto a censura e a ditadura estiverem mascaradas por uma liberdade nunca tida, o povo brasileiro ainda será escravo, pois a Lei Áurea "libertou" apenas uma etnia, O povo continua aprisionado por uma moeda de troca - e eu tenho vergonha disso!!!

Não sei se estou errada diante o conceito de humilhação e de vergonha, mas talvez presenciar uma guerra civil diante um slogan travestido por futebol seja muito mais humilhante que não receber um troféu de ouro na própria casa.