TRILHA SONORA

domingo, 8 de junho de 2014

A POESIA CAMPINENSE ESTÁ EM LUTO


Tive a honra e a satisfação de dividir o Palco com ele algumas vezes. Conheço pouco sobre a vida pessoal, no entanto sempre fui encantada por seus trabalhos e pela maneira singular de declamação. De forma humanamente inexplicável ele se foi e não disse adeus a ninguém. Típica característica de quem "poeticamente" já viveu tudo e cansou-se de um mundo tão desmetrificado. 

No fundo no fundo, todo poeta é depressivo, especialmente porque vê além dos olhos humanos... E por justamente ver além, sofre tanto! 

Gente normal nunca vai entender essa sua "fuga" do mundo, mas eu entendo. Embora sempre ache que morrer nunca é a solução pras dores. O mundo precisa de mais gente sensível. O mundo precisa de mais poetas. E você fará falta, Maneco. Que Deus perdoe essa fraqueza e te receba em seus braços.