TRILHA SONORA

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

O CACHORRO E EU


Pior do que sofrer por um Amor não correspondido é  saber que ele existiu seis anos depois que acabou. Inclusive quando essa informação vem acompanhada de álbum de fotos, casamento e filhos.

É como aquele cachorro que passou a vida inteira correndo atrás do pneu do carro e um dia, sem mais nem menos o carro para, mas o cachorro não sabe o que fazer... Então, ele olha, coloca o rabo entre as pernas e dá meia volta - seguindo o caminho contrário...

Não por medo, mas por não ter mais razão de correr atrás do que está disponível.

Imaginem vocês que tive um admirador tão secreto na época do colégio que só agora, quase sete anos depois é que eu descubro isso... E da maneira mais legal possível - a Mãe dele me contou... Pior que isso - na frente da minha futura chefe e ainda disse que eu nem dava "bola" pra ele... Mas como eu poderia hipoteticamente saber que ele queria me namorar se a gente nem se falava na escola?! Muito menos fora dela.

Então, o resto da semana parece ter desandado depois disso... E tudo se tornou uma bola de neve contra mim e até meus jogos de memória e paciência resolveram não funcionar. O Tablet quebrou... Meus arquivos travaram no computador e quase não consigo escrever nem isso aqui.

De repente, começa a voltar à tona meu passado - e tudo o que eu já havia esquecido... Pessoas retornam, quereres, vontades voltam a acontecer, porque agora são possíveis - vão se tornando reais e confundem minha mente. 

Tanto quanto as três garrafas de vinho que tomei com Geiza Rafaely enquanto revirava fotos e juntava frases prontas pro jogo da verdade...

Depois disso, só a notícia de que meu livro será lançado me faz mudar os ânimos e ver que nem tudo é em vão - inclusive o sofrimento. 

Por fim, o cachorro encontra um carro diferente na rua e começa todo o percurso de correria de novo... E tudo se repete, agora, ele sabe que um dia aquele vai parar também, mas talvez até lá ele já saiba o que fazer quando o pneu estiver a seu alcance.