TRILHA SONORA

domingo, 5 de agosto de 2012

AO MEU AMIGO COBRA


Quando recebi a notícia não tive outra escolha se não parar o que estava fazendo e ficar em estado de choque frente ao computador. 

Apenas desacreditei naquilo que meus olhos liam. Parecia uma daquelas "pegadinhas" de mal gosto que gostam de postar na internet; eu passei alguns minutos pra absorver a informação e parar de tremer um pouco até conseguir ligar pra alguém e ter a confirmação.

Realmente meu Amigo Cobra Cordelista havia falecido.

Isso é tão irônico, porque sempre o vi como sinônimo de vida, de alegria... De festa. E de repente a tarde fica nublada e fria... E o tempo parece que pára. Mas o relógio não pára... É o sentido lógico de ver o tempo passar que muda o curso. 

Pessoas me ligam, me contatam no Facebook, no telefone e eu não sei explicar. Depois de uma "garapa" e do desespero incontido; uma pequena "nota" de sua esposa: "Amiga Poetisa, é com profunda tristeza que comunico que acabo de perder meu amigo, companheiro, namorado e esposo. Deixou este mundo hoje pela manhã. Eterna Saudade! Breve divulgarei o local e horário do Funeral que será amanhã."

Estava caída por terra, qualquer esperança de ser notícia enganosa. Eu havia perdido meu irmão, meu cúmplice, meu idealista e principalmente meu conselheiro poético.

E não sei como as coisas aconteceram, porque não consegui falar com ninguém da família ainda, só informações de sites e jornais... Mas todas distorcidas umas das outras... E a única que ainda persiste é a do seu falecimento.

Quisera eu que essa fosse a parte distorcida da história. Mas não é. E temos de nos conformar com isso e de alguma forma procurar confortar àqueles que certamente estão mais "doloridos" do que nós, que são seus familiares.

Dizem que Deus atribui missões às pessoas e quando essas missões são cumpridas, então ele recolhe os enviados... Cobra sem dúvida cumpriu muito bem a sua. Espalhou poesia, alegria e carinho em todo o Nordeste. Sempre com muita humildade e carisma; conquistou centenas de novos de amigos e registrou dezenas de talentos anônimos. Foi padrinho de muita gente que tava começando a engatinhar artisticamente e apresentou o mundo àqueles que só precisavam de um empurrão e duplou com muita gente importante. Ele fez sua parte!

Tive a oportunidade de conhecê-lo de perto como homem, Pai, esposo e cidadão. Me orgulho demais de ter dividido o palco e a amizade com ele - era um grande ser humano e um bom "palhaço" - sempre nos contagiava com suas brincadeiras, anedotas e seu jeito sincero de falar a verdade.

Além de tudo era político. Cidadão de bem. Caixeiro viajante. Poeta.

Certamente as lembranças são muitas, principalmente aquelas que vivenciávamos atrás do palco (quando não éramos mais os artistas e sim gente de carne e osso) são as que mais marcaram... Lembro de como se preocupava quando saíamos juntos para apresentações e eu "desviava" caminho... Ele sempre achava que eu tava perdida e era sua responsabilidade cuidar de mim... Às vezes pensava que era meu Pai e não meu colega de trabalho. E eu me sentia protegida mesmo que longe de casa.

E agora, quando vejo as fotografias é tão difícil imaginar que aquele sorriso não vai estar mais lá... Que não haverão mais puxões de orelha pelo deslize na hora da desafinação musical... Ou aquelas gargalhadas de quando ele dizia baixinho " essa foto é só pra fazer raiva a fulano, só porque ele não fotografa com você!" ou "se ele me perguntar porque te agarrei na foto, mando te assumir e então paramos de fotografar juntos"... E riamos ridiculamente.

São coisas tão simples... Eram momentos bobos... que ficarão na minha memória pra sempre; porque simplesmente ele foi um dos primeiros que acreditou no meu talento e que me impulsionou a tentar o impossível e ser quem sou.

Aprendi a não ter medo ou vergonha de falar o que penso, com ele. E agora...

Não vou dizer adeus, Poeta. Porque isso tem sabor de nunca mais, digo até breve, pois sei que nos encontraremos um dia para a grande festa cultural do céu.

E que Deus abençoe a família linda que se construiu em volta do Amor que reinava em seu coração! Segue em Paz.

Um comentário:

  1. Entre olhos rasos d´agua e a saudades que já cresce, como comentar teu poema de vida tão completo e meigo, sobre alguém de maior fama como Cobra que nos inspirava a falar sobre crianças, escrever sobre a realidade dos sonhos e cantar a nossa cidade, sem deixar de lado a sua amada família e nem a nós, seus cúmplices, seguidores e aprendizes que somos. Só nos resta em despedida uma salva de palmas para este merecido artista...\o/\o/

    ResponderExcluir

DÊ SEU PITACO: